Bem-Vindo ao Portal da FAI
Com o objetivo de defender os direitos e interesses da comunidade universitária.
Central do Aluno
Matricula:
Ano:
CPF:
Central do Docente
Identificação:
*Caro docente caso não tenha feito o recadastramento de sua senha,informe seu CPF no campo senha.
Senha:
NOTÍCIAS
Imprimir
Arquivos
Home

Posto do CVV de Adamantina inicia atendimentos pelo telefone 188
Grupo de voluntários implanta CVV em Adamantina, que já atende pelo telefone 188
Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019
por Siga Mais
revisão de Daniel Torres de Albuquerque
Posto do CVV de Adamantina inicia atendimentos pelo telefone 188
foto de Divulgação

Começou a funcionar na segunda-feira, 7, e será oficialmente inaugurado nesta quinta-feira, 10, o posto do Centro de Valorização da Vida (CVV), onde uma equipe de voluntários se reveza para atendimentos de chamados telefônicos pelo número 188. A estrutura local integra uma rede nacional do CVV, e passa a receber chamados de todo o Brasil.

A inauguração oficial do Posto local do CVV acontece às 19 horas. A estrutura funciona em um espaço cedido pela Prefeitura de Adamantina, à avenida Vitório Romanini, 204, fundos, na Vila Cicma. Segundo a psicóloga e docente de Psicologia do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI), Prof.ª Me. Ana Vitória Salimon Carlos dos Santos, voluntária do CVV e que se dedica à divulgação da iniciativa, a princípio serão realizados somente atendimentos via telefone.

Atendimento 24h pelo telefone 188

Integrado em uma rede nacional, o Posto do CVV de Adamantina passou a funcionar na segunda-feira, 7. O público local e da região já pode acessar os serviços pelo telefone 188, em chamadas originadas de telefones fixos ou celulares, sem custos para o usuário.

Os chamados são encaminhados para uma central nacional e distribuídos aos ramais que estejam desocupados. Assim, uma chamada local poderá ser atendida em qualquer Posto do CVV em território nacional. “Desta forma, o Posto CVV de Adamantina poderá atender ligações de qualquer parte do país e, da mesma maneira, ligações realizadas nessa região poderão ser atendidas em qualquer parte do Brasil”, explicou Ana Vitória.

Segundo a voluntária, desde o ano passado foi firmado um convênio do CVV nacional com o Ministério da Saúde, constituindo a Rede Nacional de Prevenção do Suicídio, a qual o Posto CVV de Adamantina passa a integrar. Por este convênio, entre outros aspectos, as ligações passam a ser gratuitas para os usuários, seja qual for a origem da ligação (telefone fixo ou móvel). A rede nacional funciona 24 horas, independente do horário local de funcionamento.

Apoio emocional, sigilo e anonimato

Segundo Ana Vitória, a pessoa que desejar conversar deve ligar para o número 188. “O posto do CVV presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, respeito e anonimato”, explicou. “Não é um atendimento profissional, não substitui atendimentos na área de saúde, quando necessário, mas é um atendimento humanizado, capacitado para prover apoio emocional”, continuou.

A gestão local do CVV, em total consonância com o CVV nacional, é gerida pelo Núcleo de Apoio a Vida de Adamantina (Navidad), formado por um grupo de voluntários que há cerca de dois anos se organiza para consolidar esse trabalho.

Voluntários fazem atendimentos

Os atendimentos serão prestados por pessoas voluntárias que passaram por treinamento especializado, onde um primeiro grupo já foi capacitado, o que permite colocar a estrutura em funcionamento.

Após a capacitação inicial, existe uma programação com formações complementares contínuas. “Os voluntários são pessoas de diversas formações, histórias de vida, crenças, mas que no atendimento levarão em conta o princípio básico do respeito humano, à diversidade e formas diferenciadas de ser, sendo o trabalho do CVV e do Navidad totalmente isento de valorações e conotações religiosas, políticas e ou de outros tipos”, explicou Ana Vitória.

Ela relatou que para o início do posto de Adamantina os voluntários participaram de capacitação com voluntários experientes dos postos do CVV de Piracicaba e de São José do Rio Preto e continuam participando de reuniões de estudos e aperfeiçoamento.

A coordenadora do Posto local, Sandra Kokura, participou no ano passado do 39º Conselho Nacional do CVV, ocorrido em Belo Horizonte (MG) e do Encontro Regional da Noroeste Paulista, ocorrido em Brodowski, ampliando as condições de aprimoramento dos voluntários.

Formação de um novo grupo de voluntários

Ao iniciar seus serviços em Adamantina, o CVV e o Navidad anunciam um novo calendário de treinamento, que abrirá possibilidade para novos interessados em voluntariarem-se como atendentes do Posto local do CVV.

O curso tem seis encontros e acontece nos dias 21, 22, 23, 28, 29 e 30 de janeiro, das 19h às 22 horas. A capacitação vai ser realizada na sede do Sincomercio, em Adamantina (rua Cristóvão Goulart Marmo, 739). Mais informações pelo e-mail adamantina@cvv.org.br.

Após a ampliação do número de voluntários e melhor adequação das instalações do posto – segundo Ana Vitória – também poderão ser realizados atendimentos presenciais. “Sendo assim, o Posto poderá ser conhecido pelos interessados no dia de sua inauguração, nesta quinta-feira. Posteriormente o local só terá atividades internas e não atenderá pessoalmente”, orientou.

Trajetória da conquista

A conquista do posto do CVV em Adamantina é fruto de uma longa trajetória, de mobilização e engajamento de um grupo de voluntários sensíveis e preocupados com o tema. A psicóloga Ana Vitória lembra que desde 2014 alunas do curso de Psicologia da UniFAI iniciaram contatos com a Comissão Nacional de Expansão do CVV, buscando informações e começaram a propagar e sensibilizar para a possibilidade de um posto em Adamantina.

Anterior a isso, desde 2007 existe em Adamantina um trabalho de promoção da vida e prevenção ao suicídio e outras violências que culminou na Rede Promover Vida, e a partir dela, parceria entre diversos órgãos públicos e UniFAI, sendo verificada a necessidade de organizar e somar mais serviços à Rede para promover apoio às pessoas em condições de crise e necessidade de apoio emocional, sendo o CVV idealizado como um potencial parceiro.

Depois, em 2016, no “5º Encontro por uma Cultura de Paz: ações de promoção da vida, prevenção do suicídio e outras violências”, os integrantes da Rede Promover Vida imprimiram um banner do CVV com o objetivo de iniciar a sensibilização dos participantes. “Em dezembro de 2016 tivemos em Adamantina três mortes por suicídio, o que definitivamente culminou na necessidade urgente de ampliar recursos de ajuda, além dos existentes”, lembrou Ana Vitória. “Já estavam sendo identificados possíveis parceiros para esta empreitada, definindo-se pela formação do comitê, iniciando-se contatos, estudos e ações”, completou.

Já as reuniões do grupo que formou o Comitê Pró-CVV foram iniciadas há um ano e dez meses. A primeira reunião foi no dia 31 de março de 2017, culminando com a instalação do posto, subsidiada por toda essa trajetória anterior.

Busca pelo CVV Nacional

Após a instalação do Comitê Pró-CVV em Adamantina os voluntários locais tiveram uma importante oportunidade favorecida pelo posto do CVV de Lins, que mediou o encontro do grupo com o coordenador nacional da expansão do CVV, João Régis da Silva, quando foram prestadas orientações iniciais, de maneira oficial, e esclarecidas dúvidas.

Depois disso, em setembro de 2017, João Régis da Silva esteve em Adamantina, o qual realizou diversas ações no município, como reunião com o próprio comitê, reunião com autoridades locais na Câmara Municipal, palestra aberta à comunidade na Biblioteca Municipal, palestra para profissionais, alunos e comunidade regional no “6º Encontro por uma Cultura de Paz: ações de promoção da vida, prevenção do suicídio e outras violências”, realizado pela Rede Promover Vida na UniFAI. “O mesmo auxiliou na mobilização da comunidade, especialmente esclarecendo os objetivos do CVV e aumentando a credibilidade na seriedade do trabalho realizado voluntariamente”, destacou Ana Vitória.

Após esta visita local do coordenador nacional da expansão, o próprio comitê, através de seus membros, em minicomissões, realizou reuniões e contatos com vários representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como com instituições e empresas de vários segmentos, mídia, clubes de serviços, entre outros, esclarecendo sobre o trabalho e buscando condições para executá-lo.

Entre os desafios locais vivenciados e superados pelos integrantes do comitê, estavam a constituição de uma entidade jurídica para poder ser a mantenedora do projeto CVV, viabilizar financeiramente o projeto, realizar capacitação dos voluntários, criar condições estruturais, físicas e materiais para a existência do posto do CVV, entre outras exigências legais e organizacionais.

Depois disso, em 20 de dezembro de 2017 houve a assembleia de fundação do Navidad, tendo por presidente nesta gestão o advogado e professor Alceu Teixeira Rocha.

Já o período de outubro de 2017 ao início de 2018 se deu o primeiro curso de capacitação de voluntários. Na sequência foi instalado o funcionamento do projeto CVV, que tem por coordenadoras as voluntárias Sandra Kokura e Letícia Scholl. E paralelamente foram e estão sendo realizados esforços para a estruturação física do posto.

Foi somente depois da constituição jurídica do Navidad que se tornou possível realizar atos de parceria, solicitação de qualquer tipo de apoio ou ações na comunidade. A manutenção do Núcleo é realizada através da contribuição mensal de seus membros e voluntários do CVV, bem como através de ações na comunidade, tendo já sido realizadas rifa, venda de pizzas e duas feirinhas de doces.

O espaço cedido pela Prefeitura para o funcionamento do CVV local, à avenida Vitório Romanini, 204, Vila Cicma, recebeu pequenas melhorias, como substituição do forro, pintura e a parte elétrica, o que foi feito com apoio de algumas empresas e do poder público. Já a estrutura operacional mínima, como móveis e computador, foi obtida a partir de doações da comunidade.

Outros projetos na comunidade

O Navidad pode desenvolver vários projetos junto à comunidade. O primeiro deles, em andamento, é a implantação do CVV com os atendimentos por telefone, e futuramente também serão realizados presencialmente, por chat e e-mail.

Segundo Ana Vitória, também poderão ser desenvolvidas campanhas de prevenção, como as realizadas durante o setembro amarelo e existem diversas ferramentas que, futuramente, poderão ser oferecidas pelo projeto CVV comunidade como Grupos de Apoio aos Sobreviventes de Suicídio (GASS), destinado a pessoas próximas de alguém que cometeu o suicídio e àquelas que tentaram o suicídio; Caminho de Renovação Contínua (CRC), para reflexão e troca de experiências; Cine-SER CVV, exibição de filmes com comentários e reflexões; palestras e eventos na comunidade, entre outros (Mais informações aqui). “Porém, ainda estamos iniciando e pretendemos continuar implantando as ações de modo sustentável. Pretendemos ampliar e implementar as condições estruturais e humanas para depois expandir outros projetos”, destacou a voluntária.

Ajuda e parcerias

Com o início das atividades do posto do CVV em Adamantina, a comunidade local e regional pode contribuir de diversas formas para o bom funcionamento do serviço voluntário, bem como com as demais ações pretendidas pelo Navidad.

Ana Vitória reitera que o objetivo do CVV é proporcionar apoio emocional para pessoas que querem e precisam conversar. Para este objetivo ser atingido são necessárias pessoas voluntárias disponíveis para prestar esse atendimento, e que existam condições básicas para este serviço ser prestado, como custeio de despesas para manutenção do posto, para realização de campanhas e capacitações, entre outras, e que as pessoas saibam da existência do serviço para poder buscá-lo.

Sendo assim – destacou Ana Vitória – se alguém se interessar e tiver tempo disponível, pelo menos quatro horas e meia semanais, e mais tempo para reuniões periódicas, previamente marcadas, podem realizar um curso preparatório para serem voluntários e se decidirem assumem essa função.

Ela explicou que há várias formas de prestar serviço voluntário através do CVV: podem ser plantonistas para atendimento, podem auxiliar em campanhas de esclarecimentos e prevenção do suicídio, podem auxiliar em campanhas de arrecadação de fundos para manutenção do CVV, participar de comissões de divulgação, de eventos, entre outros.

Outra forma de ajudar, segundo Ana Vitória, é sendo doador de recursos financeiros, materiais ou de serviços. Nessa modalidade podem existir doadores mensais ou pontuais, por depósito em conta ou carnê, identificados ou anônimos, bem como podem existir doações de materiais como de escritório (sulfite, tinta para impressora, canetas, pastas), materiais de limpeza ou serviços como impressão de banners, folhetos, folders, ou outras formas de colaboração.

E, também, os voluntários podem auxiliar divulgando informações confiáveis sobre os serviços prestados, aonde e como procurar ajuda, especialmente pelas ligações para o número 188, além de banners do CVV de divulgação de boas práticas para promoção de uma convivência mais solidária, de respeito e cuidados uns com os outros.

Quem quiser inscrever-se para o próximo curso de formação de voluntários e/ou tornar-se um doador, entre em contato através do e-mail adamantina@cvv.org.br.

Agradecimentos

Como voluntária do CVV e em nome de todo o Navidad, Ana Vitória faz agradecimentos especiais, em razão da consolidação dessa etapa inicial que permitiu a abertura dos serviços do posto do CVV em Adamantina.

“Gostaria de acrescentar agradecimentos a todas as pessoas que, de modo pessoal ou como instituição, empresa, tem auxiliado na construção desse trabalho. Apesar de aparentemente simples e quase invisível, é um trabalho que necessita ser muito bem preparado, organizado e realizado, porque muito mais que paredes e móveis, o que se oferece ao outro ser humano deve ser uma escuta qualificada, com intervenções adequadas, pois temos a consciência de que quem ligou, do outro lado da linha, merece o melhor que como serem humanos podemos oferecer. Temos aprendido que CVV mais do que um projeto é uma filosofia de vida, de podermos pensar no próximo, em seu bem-estar e cuidados, no respeito mútuo e em valores éticos para a convivência humana”, finalizou.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Rua Nove de Julho, 730 - Centro - CEP 17800-000 Adamantina SP - (018) 3502-7010

Portal UNIFAI - Centro Universitário de Adamantina :: Política de Privacidade - © Copyright - Todos os direitos reservados